segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

A verdade


Você já pensou algum dia no poder da verdade? Ou você pensa que a verdade chega sempre tarde, quando a injustiça já se consumou?
Quando foi coroado rei da Pérsia, Dario mandou dar uma grande festa para todos os seus súditos, espalhados em cento e vinte e sete províncias.
Terminada a festa, adormeceu, mas foi despertado pelas vozes alteradas de três rapazes que discutiam acerca do que seria a coisa mais forte do Mundo.
Em vez de admoestá-los, ficou a escutá-los.
Decidiram que cada um escreveria uma frase dizendo o que era a coisa mais forte e colocariam os papéis debaixo do travesseiro do rei. Pela manhã, o rei e os príncipes da Pérsia julgariam qual a opção mais sábia.
No dia seguinte, na sala dos julgamentos, leu-se a primeira frase: "O vinho é o mais forte”.
Aquele que escrevera a frase considerou que o vinho tem muita força. Tanta que pode transformar em tolos os homens mais grandiosos.
O rei poderoso e a criança ignorante se igualam sob sua força. Coloca nuvens na memória e torna discussões sem valor porque tudo cai mesmo no esquecimento.
A segunda frase dizia: "O rei é o mais forte”.
A justificativa do autor foi de que o rei tudo manda e é obedecido. Envia soldados à guerra, condena pessoas à morte ou lhes concede o perdão.
Todos os súditos o obedecem e ele faz o que lhe agrada. É apenas um homem, mas por ele os soldados cruzam montanhas, derrubam muralhas, atacam torres e depois de conquistado o país, trazem os frutos para ele.
A terceira frase afirmava: "Acima de tudo, a verdade prevalecerá”.
O jovem que a escreveu falou: “A verdade é mais forte que todas as coisas”.
O rei pode ser perverso, o vinho é perverso. Os homens podem ser maus. Todos eles perecerão.
Mas a verdade é eterna. É sempre forte. Nunca morre. Tampouco é derrotada. Faz o que é justo.
Não pode ser corrompida.
Não necessita do respeito das pessoas para existir. “É grandiosa e soberana sobre todas as coisas”.
E Dario julgou que o terceiro jovem era o mais sábio, dizendo-lhe que pedisse o que quisesse.
O jovem era um judeu e lembrou ao rei que ele deveria cumprir a promessa de reconstruir Jerusalém.
Que ele deveria reconstruir o Templo, conforme compromisso assumido no dia em que subiu ao trono.
E o rei da Pérsia cumpriu a promessa.

* * *

Esta história se baseia em eventos descritos no Primeiro Livro de Esdras, na Bíblia.

O jovem sábio judeu se chamava Zorobabel. Ele foi um líder do povo judeu na época de seu retorno do exílio na Babilônia, cerca de 520 a.C.Equipe de Redação do Momento Espírita com base no cap.A verdade vencerá, de Ella Lyman Cabot, de O livro das virtudes,v. I, de William J. Bennett, ed. Nova Fronteira.

Nenhum comentário: