terça-feira, 5 de junho de 2012

PMDB e PSDB: dois partidos, duas mulheres !

Célia Bezerra (PSDB) deve compor com o PMDB na chapa majoritária.


Por uma simples decisão lógica tenho mantido distância calculada da política local.

Algumas situações de ordem pessoal, de trabalho e também por não dispor de tempo para conciliar uma agenda profissional gigantesca.

Apesar de ser um simples e recém filiado ao PSDB, nada me impede de demonstrar minha simpatia por Célia Bezerra na condição de vice em quaisquer composição majoritária que o partido venha a aprovar.

Confesso, que sempre tive tendência de acompanhar os tucanos. Foi assim nas últimas eleições presidenciais e na estadual.

A nível municipal, o partido vem sendo brilhantemente conduzido pelo Prof. Valdeci dos Santos Júnior, marido de Célia Bezerra, que organizou a legenda com seus esforços, merecendo, portanto, indicar naturalmente sua esposa para a composição majoritária.

Aportaram o PDT e o PT para uma pretensa coligação na proporcional. Nada contra, até porque dessa junção o PSDB sairá como grande beneficiário, elegendo seu(s) representante(s).

Em momentos distintos sempre foi questionado a participação do PSDB na chapa majoritária. Seja com candidatura própria, seja indicando alguém para composição como vice.

Particularmente acredito que o PMDB não terá outra opção a não ser compor-se com o PSDB na majoritária. O PMDB já frustrou-se demais. As estratégias do PMDB não tem dado certo. Por isso, a solução deve ser caseira, aliando-se ao PSDB.

O DEM terá candidatura própria e não há clima que permita união com o PMDB ou o PR. Juntar-se a um desses partidos seria enterrar o DEM definitivamente do cenário, tornando-o apêndice de outra legenda.

Assim acontecendo, o nome de Célia Bezerra é indicativo natural para essa composição (PMDB/PSDB).

Tem minha simpatia, como também já se manifestou em reuniões o PT de Ruberlânio, como o PDT.

Há outros simpatizantes como Daniel Pereira que já luta nesse sentido há meses, sabendo que uma candidatura de Célia Bezerra a vereadora seria sepultar sua pretensão de voltar a Câmara Municipal.

Sou um admirador e conheço a luta de Valdeci e Célia na política local há anos. Não é de hoje. Por essa luta, o presidente do PSDB indicará sua esposa para uma composição majoritária. Nada de anormal.

Olhemos para o futuro, talvez teremos aí duas brilhantes mulheres administrando uma cidade e todos nós temos que saber que as mulheres estão vivendo um bom momento na política.

Não se faz política apenas querendo espaços a todo custo.

Não se faz política alienando seus ideais ou buscando adquirir simpatias ou comprar consciências internas dentro de um partido.

A política deve ser exercida com paciência, tranquilidade, cautela. Observando o cenário, os problemas sociais e tomando decisões.

Esperamos então o embate que se avizinha observando bem e escolhendo quem terá capacidade e sensibilidade de administrar Baraúna nos próximos quatro anos.

Na política, como em tudo que fazemos na vida, temos que fazermos escolhas.

Um comentário:

Anônimo disse...

eu acho célia e voce berguin os melhores nomes mas tem que tirar audivon do puder