quarta-feira, 11 de junho de 2014

Advogado de Genoino é expulso do plenário do STF por Barbosa

  • Nelson Jr - 6.ago.2012/STF
    O advogado Luiz Fernando Pacheco, que defende José Genoino, em foto de 2012
    O advogado Luiz Fernando Pacheco, que defende José Genoino, em foto de 2012
Fernanda Calgaro
Do UOL, em Brasília
O advogado do ex-presidente do PT José Genoino, Luiz Fernando Pacheco, foi expulso nesta quarta-feira (11) do plenário do STF (Supremo Tribunal Federal), por ordem do presidente da Corte, ministro Joaquim Barbosa, ao subir à tribuna para pedir que o tribunal decida sobre pedido da defesa para que Genoino volte a cumprir pena em regime domiciliar.
Logo no início da sessão plenária, Pacheco interrompeu o julgamento de outro tema e questionou por que Barbosa ainda não colocou em pauta recurso apresentado por ele questionando decisão individual que determinou a volta de Genoino à prisão. "Processos penais, execuções penais têm precedência sobre qualquer outro assunto", disse, ao solicitar que o assunto fosse colocado em pauta. "Vossa Excelência quer pautar esta Corte?", reagiu Barbosa.
"Venho rogar a Vossa Excelência que coloque em pauta. (...) Vossa Excelência deve honrar essa Casa e trazer aos seus pares o exame da matéria", disse Pacheco, com voz exaltada, lembrando que o próprio procurador-geral da República, Rodrigo Janot, determinou que voltasse ao regime semiaberto. Cabe ao presidente do STF definir os temas a serem incluídos na pauta de julgamento.

Barbosa, então, discutiu com Pacheco e pediu que se retirasse. Diante da insistência, o microfone do advogado foi cortado e Barbosa determinou aos seguranças do tribunal que o removessem do local.
Pacheco deixou o plenário protestando: "Isso é abuso de autoridade! Isso é abuso de autoridade", ao que Barbosa rebateu: "Quem está abusando de autoridade é Vossa Excelência. A República não pertence à Vossa Excelência e nem a sua grei [povo], saiba disso."
Já do lado de fora do Supremo, Pacheco fez mais ataques a Barbosa: "A nossa manifestação hoje foi no sentido que ele traga ao plenário o agravo para que o Supremo Tribunal Federal e não só a sua figura nefasta, julgue se José Genoino deve morrer na cadeia ou se pode cumprir prisão domiciliar. Ele, com toda a sua truculência, mandou me retirar do STF. Recebo isso com honra. Cada pedra lançada a mim por esse homem eu recebo como uma medalha", disse.
E continuou: "O que estamos vendo nesta quadra da vida nacional é algo realmente intolerável, o autoritarismo deste [Tomás de] Torquemada [inquisidor espanhol] que é o ministro Joaquim Barbosa e que, em boa hora, pediu aposentadoria no meio do seu mandato presidencial -- não sei por que nem me cabe especular por que, mas algo aí me cheira mal".

Nenhum comentário: