sábado, 25 de abril de 2015

9 coisas que os ricos costumam fazer e você (provavelmente) não faz

Cerca de 1% da população atualmente controla 48% da riqueza de todo o planeta. Isso significa que as 80 pessoas mais ricas do mundo detém US$ 1,9 trilhão -- ou a mesma quantidade de dinheiro de 3,5 bilhões de pessoas juntas!
É claro que muitos daqueles que não fazem parte deste seleto 1% da população vão dizer que a "sorte é para poucos" e que a fortuna destas pessoas provém de herança e não do próprio esforço. Mas, na verdade, apenas 11 dos 80 mais ricos do mundo herdaram suas fortunas. Os outros 69 construíram seus impérios do zero
O megainvestidor Warren Buffett, por exemplo. Com uma fortuna estimada em US$ 72,3 bilhões, Buffett era um garoto de classe média quando decidiu seguir carreira no mundo dos negócios. 
O segredo, segundo o Business Insider, é o hábito que eles cultivam. Eles não só pensam diferente dos demais, como agem de forma distinta no dia-a-dia. Duvida? Veja abaixo 9 coisas que os ricos costumam fazer que você - provavelmente - não faz: 
1. Os ricos acreditam na lei do retorno
Os ricos acreditam que eles vão receber de acordo com seus esforços para um devido produto ou serviço criado. A questão é se destacar dos demais. Enquanto pessoas comuns acreditam que todos deveriam ser pagos igualmente, independente do que cada um produz, os ricos sabem que a inovação provavelmente deixaria de existir. 
"Eu conheci pessoalmente o inventor do espelho retrovisor digital. Você acha que seria justo pagá-lo apenas US$ 15 por hora pelo tempo que ele se dedicou a esta invenção ou, já que seu produto tem sido um sucesso em todo o mundo, talvez ele devesse receber uma parcela dos rendimentos por cada venda? Eu sou grande fã deste último", disse Derek Sall, economista e colaborador do site Life and My Finance. 
2. Os ricos focam em oportunidades, não nos obstáculos
"Era uma vez um vendedor de sapatos que se encontrou em um país distante, tentando vender seus produtos. O único problema era que ninguém de lá usava sapatos. 'Não tente entrar nesta cidade', disse um vendedor da região. 'Estas pessoas nem sequer usam sapatos'. Os olhos do estrangeiro se arregalaram: 'Ninguém usa sapatos? Então poderei vender um par para todos da cidade! Estarei num mercado inexplorado!""
Segundo Derek, tudo é questão de perspectiva. Enquanto muitos reclamam da má sorte ou dos desafios, e rapidamente desistem de seus sonhos, os ricos veem isto como uma oportunidade. 
3. Os ricos se cercam de gente bem-sucedida e positiva
Os ricos sabem que atitude é tudo. Se eles só conviverem com pessoas que reclamam sobre o tempo, o governo, a situação financeira, o trabalho e sobre a vida pessoal, provavelmente eles vão começar a ver o mundo desta forma. Pelo contrário, se eles se cercarem de pessoas positivas, que sempre veem uma solução para seus problemas, eles também vão absorver esses pensamentos. 
Em vez de ser pessimista, por que não ver o lado bom das coisas? 
"Um grande exemplo é o cidadão americano em comparação ao imigrante. Os imigrantes são quatro vezes mais propensos a enriquece do que aqueles que nasceram nos Estados Unidos. A razão? Falamos tanto sobre coisas ruins do país que não vemos oportunidades, diferente dos imigrantes, que depositam suas esperanças nos EUA."
4. Os ricos sabem dar valor para si mesmos
Os bilionários não têm medo de dizer o quão grande eles são. Isso não é vaidade em excesso, é a realidade. Enquanto pessoas normais, muitas vezes, subestimam suas verdadeiras qualidades, os ricos assumem suas competências e se tornam mais confiantes. A questão não é mostrar para as pessoas que você é o melhor, é ter certeza que você é capaz para determinado trabalho. 
5. Os ricos são maiores do que seus problemas
Pessoas normais têm medo de enfrentar os próprios problemas e os deixam consumi-los. Já para aqueles que fizeram fortuna e estão a frente de grandes companhias, há muitos problemas, mas isso não é, de fato, um problema. Eles vão trabalhar e trabalhar até que descubram alguma solução. 
A questão é perseverança e acreditar em si mesmo
6. Eles não escolhem, eles pensam em como agregar
Já faz algum tempo que os economistas surgiram com o termo "custo de oportunidade". Em síntese, ele significa que se você escolher uma coisa, você está renunciando outra coisa. Em outras palavras, se você tiver US$ 5 e comprar um sorvete, você deixará de comprar um pacote de chiclete que também queria. 
É com esse pensamento que as pessoas comuns vivem suas vidas e fazem suas escolhas financeiras. E as pessoas ricas? O que elas fariam? Apesar de parecer nada lógico, elas não deixariam de comprar algo que elas também gostariam de ter. Elas teriam as duas coisas. 
"Se dermos US$ 5 para um rico, e se ele quisesse comprar um sorvete e um pacote de chiclete, em vez de pensar em escolher, ele optaria pelos dois. Para isso, em vez de comprar um destes itens, ele provavelmente compraria 24 garrafinhas de água com os US$ 5 e tentariam vendê-las pelas ruas por 50 centavos de dólar cada, e ganharia um total de US$ 12. Com este dinheiro, ele não só compraria o sorvete e o chiclete, como pouparia US$ 2! O rico sempre pensa em agregar, e não escolher."
7. Os ricos objetivam o patrimônio e não o salário
Enquanto a maioria das pessoas sonha em ter uma remuneração alta, os ricos sabem que nada substituirá o patrimônio, isso é, suas reservas e investimentos. Isso porque você pode ganhar muito dinheiro por hora, mas se você não aprender a manter, um dia isto tudo vai cair. A questão é saber fazer dinheiro, e principalmente, saber como gastá-lo
8. Os ricos aprendem e crescem constantemente
Eles sempre olham além das possibilidades e não se contentam com o que têm. Muitos buscam o emprego que pretendem trabalhar apenas o suficiente para ganhar um salário para viver, mas os ricos não pensam assim. "Como eu gosto de dizer: 'Os ricos constantemente aprendem e crescem, e os pobres pensam que já sabem.'"
9. Os ricos não se importam em tomar o caminho mais difícil
Muitos preferem ir pelo caminho mais fácil e quando percebem, já não têm como voltar. 
"Uma pessoa pode ter a opção de trabalhar numa mercearia local por US$ 8 por hora e aprender com o dono do lugar como tocar um negócio. Em vez disso, ela decide largar o emprego e vender drogas por US$ 200 a hora. Os dois caminhos trazem lucro, mas em vez de escolher o caminho mais difícil, ela acabou sendo presa por tráfico de drogas."
Os ricos não se importam em tomar o caminho mais difícil, porque eles pensam a longo prazo. A vida pode ser difícil, mas eles sabem que as ações de hoje vão beneficiá-los no futuro. 

Nenhum comentário: